Regime de tributação: Qual é o melhor para a sua empresa?

REGIME DE TRIBUTACAO

Qual será o regime de tributação mais adequado para a minha empresa?

Existe algo muito comum entre os empresários: a maioria não sabe nada sobre impostos. E também não quer saber! Mas se você pretende ter sucesso na sua vida empreendedora, é bom você se interessar por esse assunto, pois ele afeta diretamente seu dinheiro.

Pensando nisso, resolvemos falar sobre qual o melhor regime de tributação para sua empresa. É verdade que esse é um assunto para contadores e que o sistema tributário brasileiro é bastante complexo, afinal, não existe um regime de tributação ideal que possa ser utilizado para todas as empresas, já que cada um possui suas particularidades. Mas entender como funciona pode ser fundamental para a saúde financeira da sua empresa.

O que é regime de tributação?

Em geral, o regime de tributação é o conjunto de leis que regem os impostos. No Brasil podemos encontrar três opções de regime tributário, sendo estes o lucro real, lucro presumido e o simples nacional. 

As empresas devem fazer a opção pelo regime após a sua constituição e só poderá trocar de tributação uma vez por ano, no início do ano fiscal. Veja abaixo qual o melhor regime de tributação para sua empresa.

Qual é o melhor regime de tributação para a minha empresa?

Como já foi dito, não existe um regime tributário ideal que possa ser utilizado para todas as empresas, devido as particularidades de cada uma. É bastante comum que empresas de um mesmo ramo possuam regime de tributação diferentes.

Veja abaixo qual é o regime de tributação mais adequado para o sucesso da sua empresa:

Regime de Tributação: Simples Nacional

O Simples Nacional (Lei Complementar 123 de 2006) é um modelo simplificado de arrecadação criado para as PMEs (Micro e Pequenas Empresas). Ele unifica oito impostos em uma única guia de pagamento:

  • IRPJ (Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica);
  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados);
  • Contribuição para o PIS/PASEP;
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);
  • CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);
  • CPP (Contribuição Patronal Previdenciária);
  • ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação);
  • ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza).

O Simples pode ser aplicado para empresas cuja receita bruta anual seja igual ou a inferior a R$ 3,6 milhões por ano.

No Simples, além de a cobrança se dá por apenas uma guia de arrecadação as alíquotas tendem a ser menores, o que é uma grande vantagem. Já a grande desvantagem é que os impostos são calculados baseado no faturamento da empresa e não no lucro. Por isso, é bom ficar atento!

Regime de Tributação: Lucro Presumido

O Lucro Presumido é um regime de tributação simplificado, pois as empresas que adotarem o regime do Lucro Presumido, têm por base uma margem de lucro pré-fixada pela legislação para o recolhimento do Imposto de Renda (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro (CSL).

A base de cálculo muda de acordo com a atividade da sua empresa. As margens presumidas são, basicamente, de 8% para as atividades de comércio e de 32% para a prestação de serviços.

No Lucro Presumido, as arrecadações do PIS e do COFINS deverão ser cumulativas. Ou seja, os pagamentos de alíquota de 3,65% sobre o faturamento não geram abatimentos de crédito.

O lucro presumido é considerado vantajoso para as empresas cujo lucro seja superior ao percentual presumido sobre o faturamento bruto. Sendo assim, caso a empresa tenha obtido uma margem de lucro maior, a tributação recairá apenas sobre a margem pré-fixada.

Regime de Tributação: Lucro Real

O Lucro Real é o regime de tributação onde o imposto é calculado sobre o lucro líquido, levando em consideração as despesas que podem ser compensadas de acordo com a legislação.

Em geral, é adotado por empresas de grande porte devido à necessidade de maior controle, planejamento e conhecimento técnico. Ao optar por esse regime, a empresa precisa manter a escrituração contábil em perfeito estado, algo bastante complexo para pequenas empresas.

Porém, o Lucro Real exige adequação e rigor contábil para o cumprimento das regras tributárias, que são mais complexas que nos outros regimes de tributação. A grande vantagem do Lucro Real é que com a obrigação de estar em dia com suas obrigações contábeis permite que a empresa possua relatórios precisos, gerando maior controle por parte da empresa.

Precisa de ajuda para escolher o melhor regime de tributação para sua empresa?

Se você precisa saber mais sobre como saber qual o melhor regime de tributação para sua empresa ou tem alguma dúvida, entre em contato conosco.