Regime Tributário para Clínica de Fisioterapia: como pagar menos impostos?

A escolha do Regime Tributário é um dos primeiros passos na abertura de uma Clínica de Fisioterapia. Isso porquê antes de abrir uma Clínica de Fisioterapia é muito importante que você saiba quais são os principais impostos pagos neste segmento.

No Brasil, existem pelo menos 3 tipos de tributação. E para quem não tem um entendimento sobre o assunto, tudo parece ser a mesma coisa: pagar impostos!

Para esclarecer este assunto, neste artigo você vai entender um pouco mais sobre os principais impostos pagos por uma Clínica de Fisioterapia e a diferença entre cada um dos tipos de impostos.

Principais tributos para Clínicas de Fisioterapia

As Clínicas de Fisioterapia podem seguir os seguintes regimes de tributação: Lucro Real, Lucro Presumido e Simples Nacional.

Os regimes de tributação determinam a forma de apuração do imposto, que de maneira geral é baseado no faturamento da sua empresa.

A escolha do regime de tributação é um passo importantíssimo a ser dado, pois uma opção inadequada pode fazer com que sua empresa pague mais impostos.

Para evitar esse tipo de situação, o ideal é contar com uma assessoria contábil especializada em Clínicas de Fisioterapia para te auxiliar, pois os regimes de tributação precisam ser escolhidos de acordo com o porte da sua clínica, de forma a diminuir os custos com impostos.

Veja abaixo como funcionam os regimes de tributação:

Regime Tributário do Simples Nacional

O Simples Nacional foi criado especialmente para facilitar a tributação em empresas de pequeno porte e em microempresas.

Se a sua clínica escolher a tributação de microempresa (ME), ela precisa ter um faturamento anual de até 360 mil reais. Já para uma empresa de pequeno porte (EPP), o faturamento anual precisa ser entre 360 mil a 4,8 milhões.

Certamente, a grande vantagem do Simples Nacional está na forma simplificada de efetuar o pagamento dos impostos, pois em apenas uma guia de pagamento estão inclusos diversos impostos, tais como:

  • CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);
  • IRPJ (Imposto de Renda para Pessoa Jurídica);
  • PIS e PASEP;
  • COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social);
  • IPI e ICMS;
  • ISS (Imposto sobre Serviço de Qualquer Natureza).

Portanto, todos esses tributos têm um pagamento facilitado por meio do DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional).

Regime Tributário do Lucro Presumido

Mas se sua empresa tem um faturamento superior a 4,8 milhões de reais anuais, você não pode optar pelo Simples Nacional. Sendo assim, a primeira opção de regime de tributário seria o Lucro Presumido.

Nesse modelo, o cálculo do imposto é feito através da margem de lucro pré-fixada por lei como base para tributação do Imposto de Renda (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro (CSSL).

Mas para optar pelo Lucro Presumido a empresa não pode ter faturamento superior a 78 milhões de reais. Mas caso sua clínica de fisioterapia esteja enquadrada no Simples Nacional, a opção pelo Lucro Presumido deve ser no recolhimento do primeiro tributo no ano.

Além do IRPJ e do CSSL, que são pagos trimestralmente, no Lucro Presumido a clínica de fisioterapia deve recolher o PIS, COFINS e ISS mensalmente.

Regime Tributário do Lucro Real

Empresas com faturamento anual superior a 78 milhões de reais estão obrigadas a optar pelo Lucro Real. Porém, qualquer empresa, independente do faturamento, pode optar por este regime tributário.

De maneira geral, o Lucro Real é uma opção interessante para empresas que trabalham com uma margem de lucro muito pequena. Isso porque o cálculo do IRPJ e CSLL é feito com base no lucro efetivo que a empresa obteve no período.

Assim como nos outros regimes, uma clínica de fisioterapia também deve efetuar o pagamento do PIS, COFINS e ISS.

Conclusão

Em suma, os regimes tributários do Lucro Presumido e Lucro Real, são mais indicados para empresas com alto faturamento e com uma boa estrutura administrativa.

Por isso, se você está iniciando suas atividades, provavelmente o melhor regime tributário para sua clínica de fisioterapia é o Simples Nacional.

Portanto, neste artigo, vemos a importância do planejamento tributário no momento da abertura do CNPJ da sua Clínica de Fisioterapia.

Mas se você ainda tem dúvidas sobre como proceder, entre em contato conosco para que possamos lhe auxiliar neste processo de escolha do melhor regime tributário.